O prefeito Bernardo Rossi confirmou neste sábado (23) o início da flexibilização de funcionamento de segmentos do comércio e serviços em 1º de junho. Em live exibida em suas redes sociais, ele anunciou a prorrogação dos decretos restritivos, que tinham validade até este domingo (24), até o dia 31, e detalhou o plano de retomada das atividades econômicas, deixando claro que a decisão foi tomada com base em dados técnicos, que levam em conta a o número de leitos na rede, a taxa de ocupação dos mesmos e a avaliação epidemiológica diária de números de casos e números de óbitos.

O alinhamento sobre as melhores soluções para a operação do transporte coletivo urbano no país frente aos impactos do coronavírus e a necessidade de rever o modelo de funcionamento desse sistema no pós-pandemia nortearam as manifestações dos participantes da 96ª reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana.

Entre as principais preocupações expostas estão a demora do Governo Federal em socorrer o setor e a necessidade de uma proposta de superação da crise no transporte público por ônibus com a flexibilização da quarentena.

O prefeito ACM Neto (DEM) não descartou autorizar um novo socorro da Prefeitura às empresas de ônibus nesta segunda-feira (18).

No início de abril, a gestão municipal anunciou a compra de R$ 5 milhões em crédito de passagens para auxiliar as empresas no pagamento da folha em função da queda de arrecadação, consequência das medidas de isolamento.

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou ontem regime de urgência para a votação de projeto do prefeito Rafael Greca (DEM) que prevê a reserva de até R$ 200 milhões para socorrer as empresas do transporte coletivo da Capital, que teriam perdido receita em razão da redução do número de passageiros provocado pela pandemia do coronavírus.

Com a aprovação do pedido, a proposta deve ser votada em plenário na próxima segunda-feira. Vereadores questionam a proposta de Greca, afirmando que o projeto não especifica o critérios para o repasse dos recursos, e apontando que a operação do serviço é um atividade privada que comporta riscos que devem ser assumidos pelas empresas.

A Prefeitura adotou nesta segunda-feira (11/5) medidas para evitar aglomerações na Rua Paulo Barbosa. Os pontos de ônibus usados como parada de linhas da Petro Ita foram transferidos para a Rua do Imperador (em frente às Casas Bahia).

Com isso, o trecho usado pelos veículos passou a ser ocupado por quem está em filas nas portas de agências bancárias, garantindo distanciamento entre cada pessoa.

De acordo com consulta realizada pelo grupo de pesquisa WRI Brasil, com participação de mais de 15 cidades, houve uma queda média de 75% de passageiros após as medidas de isolamento social.

Jean Carlos Pejo: Primeiramente, precisamos levar em conta que, imediatamente antes da pandemia do coronavírus, as empresas de transporte coletivo já vinham passando por uma situação econômica e financeira difícil.

 

© 2020 Petro Ita Transp. de Passag. Ltda. || Rua Coronel Veiga, 1157 - Centro - Petrópolis - RJ || CNPJ.: 31.134.851/0001-50 Insc.Est. 84.328.472 Tel.: +55 24 2103-0599